31 outubro 2013

[Sebo do Wes] KOF '02 Be the Fighter! Original Sound Trax




Eu sou daquele tipo que, mesmo sendo ruim no gênero “fighting games”, eu sempre arriscava uma luta ou outra. E normalmente perdia. Enfim, bem vindos ao Sebo do Wes.

Sim, fazia tempo que não postava nada por aqui no conglomerado multimilionário do Violão de 8 Bits, e confesso que foi relapso do dono do sebo mesmo, ahahahha. E cavando algumas trilhas que eu ouvia bastante, me deparei com essa que, além de ser um jogo que eu jogava bastante nos emuladores da vida (pois eu sou uma negação com Arcade Stick), é uma trilha bacanuda de se ouvir. Senhores, hoje resenho o álbum “KOF '02 Be the Fighter! Original Sound Trax”.

Playlist, senhores:

01. 2002 (Title)
02. 2002[30 sec] (30 Second Title)
03. How to play (Operation Explanation)
04. Select (Player Select)
05. J (Japan Stage)
06. Tears (99 Kyo)
07. Stormy Saxophone 2 (96 Iori)
08. TACOS DANCE (Mexico Stage)
09. KD-0079 (99 Team)
10. Let's Go to Seoul (Kim "Fatal Fury 2")
11. Deserted Town (Cambodia Stage)
12. Diet (Women Fighters Team)
13. Winner (Victory Demo)
14. RED WIND (China Stage)
15. Bloody (98 New Face Team)
16. Kurikinton (Fatal Fury Team)
17. the Netherlands (Holland Stage)
18. KD0084 (2000 Heroes Team)
19. JUNGLE BOUNCER (Ikari Team)
20. Progress (Korea Stage)
21. Psycho Soldier (Psycho Soldier Team)
22. Beauty & The Beast (Art of Fighting Team)
23. Moment of Temptation (97 Team)
24. Medley Raging Flame of the Earth (98 Shadow Orochi Team)
25. ESAKA (98 Kyo)
26. Challenger (Joining In)
27. NAPOLITAN TRANCE (Italy Stage)
28. Revival (Rugal Entry Demo)
29. Last Dance (Boss Stage)
30. at Last (Rugal Termination Demo ~ Ending)
31. Festive mood (Staff Roll)
32. Continue (Continue ~ Game Over)


A “Tears” já é uma musica para marejar os olhos, assim como o texto sugere (não resisti, ahahaha), pois a introdução com violão clássico dá uma leveza no inicio, e mesmo com a guitarra sendo emendada com toques eletrônicos ao fundo não quebram o ritmo. A propósito, ritmo é algo tão importante com musicas mais animadas quanto musicas mais soturnas ou “dark”, como é o caso de “Deserted Town”. O tom ameaçador da musica, que é gerado pela guitarra e baterias mais lentas e pesadas dão um clima tão medonho que essa musica pode facilmente ser usada como musica de chefe facilmente, e como eu disse antes, ela se mantem medonha por toda a musica, mesmo com leves interrupções de instrumentos no decorrer. Uma das minhas musicas favoritas.

E falando em musica favorita, de longe “Esaka” ganha tranquilamente. Não só pelo fato de ser uma musica bem icônica para os fãs da série (mais especificamente, os fãs do Kusanagi), mas pelo conjunto da obra. O inicio com toques meio 8 bits, seguidos de uma guitarra e bateria constantes, aliadas a um sintetizador que rege grande parte da musica. Alias um ponto alto da musica. A propósito, tenho a impressão de que na “Let’s Go To Seoul” o modo que usaram o sintetizador também foi acertado, afinal ele praticamente guia toda a musica em diferentes momentos, sendo acompanhado por uma guitarra base e uma bateria que, digamos, faz o que tem que fazer. 

Lá em cima eu falei de uma musica que servia bem de musica de chefe, porem no álbum ela foi passada para a “Last Dance, que cumpre bem o seu papel para representar o [Insira seu(s) xingamento(s) favorito] do Rugal.  Para mim o charme da musica é a introdução, com essa guitarra em “fade out” indo e vindo durante toda a musica, seja na parte principal ou apenas ao fundo sendo um complemento. Ouçam ela e tenha a sensação de que “tudo vai explodir daqui a pouco”. Falando em sensação, a “Festive Mood”, como o nome sugere, é uma ótima musica de encerramento, principalmente pela “vivacidade” que ela possui, graças ao ritmo mais acelerado dela. Ela dá uma quebrada no meio, mas nada que te faça sangrar ou coisa do tipo. 

Como últimos adendos musicais, deixo a “Psycho Soldier”, que realmente me remete a algo “bélico”, provavelmente dado aos toques graves no fundo da musica (e por ser outro clássico também), e a “Progress”, que também me cativou pela guitarra bacana que rege toda a musica, quase que do mesmo jeito, mas que deixa ela com um ritmo bacana de ouvir. Como podem ver, eu não sou um ouvinte frenético da trilha de King of Fighters (sou mais do “Street Fighter Team”, hehehe), por isso fui com opiniões só na sonoridade das musicas. Espero que perdoem qualquer sacrilégio do dono do sebo.

Quem sabe não rola uma analise de Street Fighter IV por aqui...


Fonte: VGMDB

0 comentários: