16 fevereiro 2012

[Sebo do Wes] Clash of Game Music




Olá pessoas, como estão na véspera de carnaval? Vestidos de mestre-sala e Porta-bandeira que não, eu aposto. Mas bem vindos ao Sebo do Wes, lugar onde o carnaval é ignorado.

Fazia tempo que não recebia sugestões diretas do chefe Juunin, contudo o mesmo me procurou no Facebook me indicando um ótimo álbum, que inclusive foi lançado lá na Campus Party recentemente. Sim, a dica está boa, logo contemplem o álbum “Clash of the Game Music”, trabalho brasileiro feito pelo Thiago Adamo. É DO BRASIIIIIIIIIIIIL!!!

Vejam a playlist do danado (do álbum):

1 - The Chief (Halo Anniversary Tribute)


2 – Club Hysteria (Mass Effect inspired)


3 - New World Order (Critical Mass Contest)


4 - SpeedTrail (Forza Motorsport inspired)


5 - Just Falling (Falling Down OST)


6 - The New Streets (Streets of Rage inspired)


7 - Falling (Falling Down OST)


8 – Mad World (Gears of Music)


9 – Crush´em (Crusher OST)


10 – Opened Way (Shadow of the Colossus Remix)



A “The Chief” é uma grande homenagem à série Halo, logo tem os toques tradicionais da musica tema. Algo que me chamou a atenção é o ritmo levemente diminuído, pois para mim deu para ficar mais atento aos tipos de batidas usadas durante a musica. Inclusive batidas diferentes da original, o que me agradou bem mais, pois não é apenas um “copy-paste musical”. O Juunin havia me atentado à terceira faixa, a “New World Order”, que foi composta para fins de competição. E depois da intro da mesma, uma palavra me veio à mente: Half Life 2. O tom eletrônico e frenético, aliado aos próprios sons da musica me lembraram do jogo e da trilha sonora do Kelly Bailey, compositor da série. Provável que seja a melhor musica do álbum, principalmente pelo frenesi que ela sugere.

A musica acima incita o frenesi, enquanto a “Just Falling” sugere um clima mais “Lounge”, digamos. O ritmo dela não tem tantas mudanças, mas esse é o atrativo dela, aliado ao vocal baixo ao fundo. Se eu tivesse um carro, ouviria ela para me acalmar. A “Falling”, outra musica baseada na mesma OST tem poucas mudanças de ritmo também, mas segue uma linha totalmente 8 bits, com chiptunes beeeeeeeeem destacados. Me lembrou bastante menus de jogos antigos. Se bem que com a onda retrô da game music atualmente, ela serviria para os jogos atuais tranquilamente.

Não é segredo para amigos mais próximos que eu adoro as musicas mais conhecidas do Tears for Fears, e ver que uma musica foi introduzida no Gears of War 3, com uma roupagem diferenciada foi fantástico. E ela está presente no álbum também, pois me refiro à “Mad World”. Apesar dos sons que acompanham a musica serem diferentes (o vocal também), gostei de ter mantido a mesma pegada do jogo, com um vocal bem triste e desolador, mantendo o espírito dela. Falando em musicas que mantém o espírito da original mesmo com batidas/sons diferenciados, a “Opened Way é um ótimo exemplo de musica que ficou épica e dançante ao mesmo tempo, tendo características da original, porem incluindo material novo. Claro que os puristas irão dizer coisas como “a original é bem melhor”. Contudo, a meu ver, pegar uma musica muito conhecida e tentar incluir adições nela e ser bem sucedido nisso é uma coisa formidável. Méritos ao Adamo novamente.

Um ultimo adendo que eu deixo (virou clichê isso) é a “Crush’Em”, pois alem dela começar muito bem, com esse efeito de “estou voltando no tempo”, ela emenda uma musica bem estilo plataforma, principalmente com as repetições de batidas. Bote essa musica em qualquer jogo 2d que vai casar bem. Lembrando que o álbum é gratuito e pode ser baixado clicando aqui. Cliquem e prestigiem um bom trabalho feito por brasileiros.

0 comentários: